Buscar
  • FrenteEmFefesaDoSuas

NOVEMBRO AZUL: Mês de combate ao câncer de próstata



No mês de combate ao câncer de próstata, a Frente em Defesa do SUAS e da Seguridade Social destaca a importância da prevenção e do tratamento precoce


Segundo os dados atualizados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de próstata é a causa da morte de 28,6% da população masculina no Brasil. Ainda de acordo com o Inca, em 2018 e 2019, mais de 68 mil novos casos foram diagnosticados, e houveram cerca de 15 mil mortes por ano. Os principais fatores são: histórico familiar, raça (mais comum entre homens negros) e obesidade.


O diagnóstico precoce é a única forma de garantir a cura. Desta forma, exames periódicos como, exame da próstata, testes de urina e hemograma são fundamentais. Praticar exercícios e ter uma alimentação saudável também são alguns cuidados básicos que diminuem os riscos de incidência desse tipo de câncer.


Considerando os aspectos socioculturais e político-econômicos brasileiros, é de extrema importância que o Estado assegure o financiamento dos Sistemas Únicos de Saúde (SUS) e de Assistência Social (SUAS), bem como a manutenção de programas e ações como a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), a qual um dos eixos prioritários é o acompanhamento das doenças prevalentes na população masculina.


PREVENÇÃO:


O câncer de próstata é uma doença silenciosa e não apresenta sintomas na fase inicial. Na fase mais crítica, os principais sintomas são dor óssea, dores ao urinar, vontade de urinar com frequência, presença de sangue na urina e/ou no sêmen.


Quando aparecem sintomas, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, o que dificulta a cura. Portanto, mesmo sem sintomas, homens a partir dos 45 anos devem ir ao urologista e fazer o exame da próstata. De acordo com Ministério da Saúde, cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados neste exame.



Clique para acessar mais informações no site do Instituto Nacional de Câncer


Clique para acessar o site do Ministério da Saúde


11 visualizações0 comentário