top of page
Buscar
  • FrenteEmFefesaDoSuas

Entidades lançam nota pública em defesa da vinculação de recursos para o SUAS

Por meio de nota pública, organizações defendem Emenda Constitucional que garante destinação de recursos para a Assistência Social.




“A Frente de Luta em Defesa da Vinculação Constitucional que queremos” lançou neste mês uma nota solicitando a vinculação obrigatória e urgente de recursos da União para o Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Formada por oito organizações, a Frente denuncia o desfinanciamento das políticas sociais que agravou a fome e a desigualdade no país e cobram respostas dos governos .


Como uma das consequências da Emenda Constitucional 95/2016, que definiu o teto de gastos, ao longo dos últimos quatro anos vem ocorrendo a redução dos recursos destinados ao setor. Em 2021 o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) teve uma redução de 59,34% nas despesas discricionárias.


Segundo o balanço realizado pelas organizações signatárias da nota, o orçamento para 2021 aprovado pelo Conselho Nacional de Assistência Social, totaliza mais de R$ 2 bilhões e seiscentos, mas teve uma aprovação de apenas R$ 1.107.469.541 bilhão..


As organizações defendem a participação gradativa no cofinanciamento entre os entes federados, com percentual maior o governo federal, intermediário para estados e menor para municípios e a vinculação de 5% da Receita Corrente Líquida da União para o SUAS. “A retirada de recursos da Assistência Social evidencia um retrocesso incompatível com o Estado Democrático de Direito” afirmam, em nota


Outros critérios defendidos são: a previsão constitucional da participação de estados e municípios no cofinanciamento, o debate e incorporação de estudos produzidos por especialistas, e, ainda, a participação ativa das organizações que compõem o SUAS na Comissão Especial.


Emendas Constitucionais defendidas

Atualmente tramitam no Legislativo Federal duas Propostas de Emenda Constitucional: a PEC 431/2001, que objetiva a destinação de 5% (cinco por cento) dos recursos do Orçamento da União Federal; e a PEC 383/2017, que visa a alteração da Constituição Federal e define o percentual mínimo de 1% da receita corrente líquida para o SUAS.


Entre as entidades que assinaram a nota estão: a Frente Nacional em Defesa do SUAS e da Seguridade Social; o Colegiado Nacional de Gestores/as Municipais de Assistência Social (CONGEMAS); o Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS) e outras organizações.


Para deliberar um parecer acerca dessas propostas, foi constituída Comissão Especial na Câmara dos Deputados e estão sendo realizadas audiências públicas, reuniões e estudos técnicos para aprimorar a proposta.


Audiências Públicas


Durante a audiência pública sobre a PEC 383/17, que aconteceu na última quinta-feira (28), a Ex-Ministra de Desenvolvimento Nacional e Combate à Fome Márcia Lopes, abordou a urgência da aprovação da proposta. ”Não há política pública sem orçamento”, alertou.


"Isso é um dever do estado”, afirma a Assistente Social e Pesquisadora Profª Drª Jucimeri Isolda Silveira, que, na audiência da última semana, também criticou as medidas de ajuste fiscal. “Elas estão inviabilizando não só o SUAS mas os demais sistemas públicos. É inegável o agravamento da desigualdade da pobreza, da fome e do desemprego e é fundamental assegurar mais proteção à população brasileira”, destaca.


A pesquisadora ainda ressalta a importância de um sistema descentralizado e uma administração deliberativa das políticas de assistência social, sobretudo em tempos de crise. Para retomar os programas sociais e reduzir a desigualdade, destacou a necessidade da revogação da Emenda 95/2016.


Clique abaixo para acessar Nota Pública na íntegra ⤵️

NOTA DO CNAS RECURSOS ASSISTENCIA
.pdf
Download PDF • 545KB


 

Texto: Hallana Costa, jornalista graduada pela Universidade de Brasília (UnB), atua na Assessoria de Comunicação da Frente Nacional em Defesa do SUAS.


186 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page