top of page
Buscar
  • FrenteEmFefesaDoSuas

Cerimônia de lançamento da Conferência Nacional Popular pela Democracia

Atualizado: 29 de out. de 2021

“Defender e Ampliar a Seguridade Social, Conquistar Políticas Socioambientais transformadoras e Construir as Bases de uma Sociedade Solidária e um Estado Social de Direito no Brasil” é o tema da iniciativa


Aconteceu nesta quarta-feira (27/10), às 18h, o lançamento da Conferência Nacional Popular pela Democracia, prevista para acontecer em maio de 2022 na Universidade de Brasília (UnB). O evento terá a participação de movimentos e organizações sociais de todo país e será realizado via Zoom.


A conferência, estruturada a partir da articulação de diversas entidades, busca fortalecer o sistema de proteção socioambiental, defender os direitos civis bem como construir um projeto emancipatório de alta potência com novas relações entre Estado e sociedade.


Apresentações musicais e manifestações religiosas e culturais marcaram o início e o final do evento. Em uma confraternização repleta de força, poesia e diversidade, representantes de diversos segmentos e movimentos populares se reuniram para marcar a construção de uma agenda comum em defesa da democracia.


“É uma conferência para construir o futuro”, afirmou o pesquisador Armando De Negri Filho do EMRTD, que, no primeiro bloco da cerimônia, destacou a necessidade de diálogo intersetorial entre as múltiplas frentes. “Um futuro que não pode ser de fome, de desemprego e de não acesso aos direitos fundamentais e básicos”, acrescentou a ex-ministra Márcia Lopes da Frente Nacional em Defesa do Sistema Único de Assistência Social (SUAS).


Márcia Lopes abordou o papel da manifestação popular na conquista dos direitos fundamentais e na construção da constituição de 1988 e em sua fala abordou a importância de criar soluções e alternativas para o enfrentamento do atual modelo de Estado para garantir a seguridade social. “Estamos aqui para assumir um novo compromisso ético e político com o estado democrático de direito com o desenvolvimento e com todas as políticas públicas”, ressaltou.


Ao longo da cerimônia, membros das organizações também fizeram suas contribuições e apresentaram posicionamentos. Um dos vários pontos destacados foi a criação de uma metodologia participativa. Fatores que geram a desigualdade e a destruição ambiental, como o atual modelo econômico, voltado para o agronegócio, também foram abordados.


Entre as entidades que integram a articulação está a Frente Nacional em Defesa do SUAS e da Seguridade Social, a Central Única dos Trabalhadores (CUT), o Fórum Social Mundial da Saúde e da Seguridade Social (FSMSSS), o Grito dos Excluídos Continental, pela Internacional de Serviços Públicos (ISP) e outras 160 entidades, que poderão ser ampliadas de acordo com a adesão à esse processo conferencial popular e democrático.


Clique aqui para saber mais sobre a Conferência








 

Texto: Hallana Costa, jornalista graduada pela Universidade de Brasília (UnB), atua na Assessoria de Comunicação da Frente Nacional em Defesa do SUAS.

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page